30 de jul de 2008

Disciplina e flexibilidade




Gostei muito dessa historia, que li no livro Comer, Rezar, Amar (falo sobre ele no texto abaixo). É uma fabula indiana. Vou colocá-lo aqui, da forma como a autora escreveu:

"Durante horas por dia, o santo e seus seguidores meditavam sobre Deus. O único problema era que o santo tinha um gato jovem, uma criatura irritante, que costumava atravessar o templo miando, ronronando e incomodando todo mundo durante a meditação. Então o santo, com toda sua sabedoria prática, ordenou que o gato fosse amarrado a um poste do lado de fora durante algumas horas por dia , apenas enquanto durasse a meditação, para não incomodar ninguém. Isso se tornou um hábito - amarrar o gato no poste, e em seguida, meditar sobre Deus - mas, com o passar dos anos, o hábito se consolidou, transformando-se em um ritual religioso. Ninguém conseguia meditar a menos que o gato fosse amarrado ao poste primeiro. Então, um dia, o gato morreu. Os discípulos do santo entraram em pânico. Foi uma enorme crise religiosa - como poderiam meditar agora sem um gato para amarrar no poste? Como conseguiriam alcançar Deus? Em suas mentes, o gato tornara-se o meio.
...
A Flexibilidade é tão essencial para a divindade quanto a disciplina."

Elizabeth Gilbert - Comer, Rezar, Amar

Namaste!

Um comentário:

Lygia disse...

Mari,

Queria te dar parabéns pelo blog mais uma vez. Eu sempre leio e sempre aprendo alguma coisa interessante e me sinto mais em paz. Saudade!

Beijos
Ly