5 de out de 2008

escolha o que vc quer ver

Tenho ido bastante ao cinema, o que me deixa feliz pois sempre fui muito cinéfila, e nos últimos tempos esse lado andava meio apagadinho... Hoje fui ver "Ensaio sobre a cegueira", gostei muito. Já tinha gostado muito do livro quando o li, anos atrás, e o filme, na minha opinião, não decepcionou em nada. Aliás, os três últimos filmes que fui ver eram brasileiros, e estamos em uma época muito boa para isso. Aproveitem para prestigiar o cinema brasileiro!!!!

Ok, chega de propaganda! É que as vezes o meu lado atriz ainda escapa e tenho que fazer um discursinho a favor da nossa arte! eheheh! Mas a verdade é que o fato de estar indo bastante ao cinema me fez ter vontade de escrever sobre isso. E me lembrei de uma frase do livro " luz na vida", de BKS Iyengar, onde ele diz que você deve escolher o que quer ver na televisão, no cinema, etc, pois são essas as escolhas que você tras para a sua vida. Explico: se escolhemos ver somente filmes violentos, trazemos essa energia de violência conosco. Não significa que vamos viver o que foi vivido no filme (e por favor, isso não é nenhum protesto contra esses filmes, acho que tudo é válido desde que seja feito com boas intenções), mas aquela tensão, aquele medo, aquela raiva que sentimos durante o filme são realmente sentidas por nós, não é ficção. E não são energias boas. Se nos acostumamos a ver sempre filmes que nos trazem essas sensações, nos acostumamos com elas, e elas passam a fazer parte de nós, também no dia a dia, mesmo que de forma mais sutil.

Já faz um tempo que decidi não ver mais filmes de guerra, por melhores que eles sejam. Não me fazem bem. Filmes muito violentos também não. Mesmo que o filme ganhe todos os oscars, ursos de ouro e o que mais seja, e que esteja com vinte estrelinhas em todos os jornais. Não me fazem bem, não quero, muito obrigada. Devem ser beneficos para outras pessoas, não para mim. Não significa que só vejo filmes água com açúcar. E, repito, não quero dizer que devemos ser alienados ao que acontece no mundo, mas não devemos alimentar essas energias. O que vi hoje por exemplo de água com açúcar não tem nada. Mas é algo pessoal, sei o que faz e o não faz bem pra mim. No caso de ensaio sobre a cegueira na minha opinião é um filme que fala muito mais de força, de dedicação e de sentimentos humanos do que de como o mundo é cruel, como já ouvi algumas pessoas falando. Então, pra mim, é uma história que me deixa muito mais com vontade de viver do que qualquer outra coisa. Mas como já falei, é pessoal.

A arte tem inúmeras funções. Mas a mais forte delas é a de tocar o seu público de alguma forma. Pra mim, só quero os filmes que me toquem de forma positiva, que me façam querer viver e fazer algo pelo mundo. Filmes que me deixam deprimida eu dispenso.

Para acabarmos com a violência no mundo, precisamos tirá-la primeiro da nossa mente. E escolher o que vemos pode ser um bom começo.

Namaste!

2 comentários:

Silvia Alice disse...

Antes de mais nada quero dizer que só hoje tive tempo de ler seu blog e gostei muito do que li... tá muito gostoso..
Quanto ao assunto em questão, concordo plenamente com vc. Eu também tenho escolhido assistir programas e filmes que tenham alguma coisa prá me ensinar... pode ser uma boa comédia que pode me ensinar a rir de mim mesma....
beijos,
NAMASTE
Silvia Alice

Mariana disse...

Muito bom! Nossos olhos são o espelho da alma não é mesmo?! Sempre bom estar atento ao que lhes é proporcionado = )
Mto bom ler textos que nos fazem refletir, como este...Beijocas!!
Mari!