24 de set de 2009

Praticar ásanas e praticar yoga

.

Por Mariana Akamine

É muito comum pessoas que não conhecem yoga acharem que praticar yoga é praticar ásanas. Muita gente que pratica também pensa assim. Isso porque os ásanas são a parte do yoga que chegou mais fortemente ao ocidente. E não foi à toa. O homem ocidental, cheio de vícios e problemas cotidianos, precisava de uma maneira prática e eficiente para conseguir melhorar sua saúde e acalmar sua mente. Se falarmos para alguém que nunca fez nenhum tipo de prática mais holística, nunca meditou na vida, para que ela se sente e medite, ela não conseguirá ficar nem 5 minutos. Primeiro, porque o corpo vai doer. Segundo, porque sua mente não pára, e ela está totalmente dominada por ela. Agora, se ela começar praticando àsanas, vai aos poucos conseguindo colocar a sua atenção em cada parte do corpo e no corpo como um todo, vai ganhando uma maior percepção e consciência de si mesma, e com tempo, vai conseguir um corpo menos tamásico (inerte), uma mente menos rajásica (movimentada), e chegará ao estado de sattva (equilibrio). Nesse momento, aquela pessoa estressada que você conheceu meses atrás será capaz de, sozinha, sentir vontade de sentar-se e meditar. Será capaz de agir com mais calma e tranquilidade na hora de tomar decisões, e se tornará uma praticante de yamas e nyamas não só durante a aula de yoga, mas no seu dia-a-dia. Será capaz até, de repente, de falar em um caminho espiritual.

Definitivamente, yoga não é o mesmo que ásanas. Esses são só uma parte, dentro de um universo enorme. Mas são uma parte extremamente importante, na minha opinião. São uma forma prática e eficiente de autoconhecimento, que leva à harmonia, pureza, contentamento, dedicação, disciplina, superação dos limites... e consequentemente, como disse Patanjali , ao controle, contenção, ou desapego, das flutuações da mente.

Se uma pessoa começa a praticar yoga somente como um exercício fisico, certamente estará usando uma parte muito pequena de um universo gigante. Mas isso não significa que devemos criticá-la, é possivel que com o tempo de prática, esse universo se abra para ela. E se simplesmente a rejeitarmos por suas ideias iniciais, não estaremos impedindo que muitas possibilidades se abram no futuro?

Namaste!!

5 comentários:

Adriana disse...

Realmente o Yoga é ainda muito desconhecido! Há também os querem fazer yoga para ficarem mais tranquilos...
Vejo que o yoga é mais que isso, mais que ásanas também.
Gostei do local onde tirar as fotos, parece um jardim bem legal para praticar yoga!
luz!

Fernanda R. Lima disse...

ei Mari, seu blog ta uma delicia... cheio de textos otimos.. e as fotos matam um pouco da saudade da nossa India... ;-)

Beijos p/ vc!

Harih Om

Fe

Mariana Akamine Bergamasco disse...

Adriana,

O jardim é da casa da minha familia, no interior de São Paulo. É um dos poucos lugares ao ar livre onde eu gosto de praticar, no geral prefiro um lugar isolado e silencioso. Concordo com você, existe também esse outro lado, do "fazer yoga para ficar calmo", uma ideia um tanto limitada também. É uma boa sugestão para um outro texto!!

Namaste!

Mariana Akamine Bergamasco disse...

Fê,

Que bom que está gostando!!! Eu achei que essa ideia de dividir o blog foi boa, não foi? Deu uma dinamizada... Vou te escrever logo mais, to com umas ideias na minha cabeça... eheheh!

Namaste!

Bjo!

coisas de frozina disse...

Este texto caiu como uma luva pra mim, Mari! Apesar de eu saber (e já senti na pele) que yoga não é só praticar asanas, ficar impedida de praticá-los por pelo menos 15 dias tem sido duro... Tenho procurado posturas que não alonguem o braço, se eu disser que estou fazendo pranaiamas estarei mentindo, e praticar asanas de pé com a mão na cintura não deu certo (o braço inchou). Enfim, "sobrou" o quê?! Meditação e aprender a respeitar o tempo...
Beijo!!