24 de nov de 2009

"Momento diario"- mais uma vez, vontade de dividir, seja com quem for...

Por Mariana Akamine


Mais uma vez falando sobre limites, aceitar, conhecer, etc...

Não tenho escrito muito, como os leitores desse blog devem ter percebido. Muitas coisas acontecendo do lado de cá. A última novidade é que estou passando uma semana em casa, depois de duas cirurgias na semana passada. Fiz uma cirurgia de emergência para retirada da minha vesícula, que estava inflamada e cheia de cálculos. Algumas pedras migraram para as vias biliares, e no dia seguinte passei por outra cirurgia para retirá-las. Eu que nunca havia ido para o pronto-socorro na vida, agora sei tudo sobre hospital!!

Tá tudo bem, me recuperando aos poucos, mas bem. Mas não tem sentido nenhum ficar escrevendo sobre a minha enfermidade, se não for pra falar sobre a experiência em si. Como eu sempre digo, e acredito muito nisso: tudo é experiência, tudo é aprendizado. E há uma semana, tudo que tenho vivido tem sido um aprendizado constante. A cirurgia foi, como dizem os médicos, simples. Mas pra mim foi uma porrada e tanto. Tive que reaprender a comer (literalmente, meu corpo teve que reaprender a digerir, o que nos primeiros dias me causava cólicas e me exigia um certo exercício de paciência). Meu corpo se curvou completamente, e agora tenho que reaprender a colocar a coluna ereta, voltar os ombros pro lugar, etc. Algo na entubação machucou a minha garganta, e estou há dias sem voz. Sem contar a questão psicológica, de de repente sentir o meu corpo absolutamente frágil, e assim sentir-me frágil como nunca. De depender dos outros para uma porção de coisas. E de, o que talvez seja a maior questão de todas, de não poder trabalhar. Amo o meu trabalho, e sempre senti que sou alimentada por ele. Mas de repente, comecei a repensar uma porção de coisas a esse respeito. Como talvez esse amor pelo trabalho seja raro e maravilhoso, mas ao mesmo tempo gere uma dependencia. Apego. Cá estamos nós novamente com essa palavrinha!

A atenção que tive dos meus amigos foi incrível. O tempo todo o telefone tocava pedindo noticias, tenho recebido ainda muito carinho e isso me deixa muito feliz, faz com que eu me sinta querida e agradeça imensamente ao universo por ter tantas pessoas especiais na minha vida. Mas me gerou outros questionamentos também...

Estou me sentindo como em um retiro, onde a todo momento algo é trabalhado. Cada ação, cada reflexão, cada piscada é um trabalho dentro de mim. Parece exagero, mas é assim como eu me sinto no momento. E aí vem novamente a questão do yoga presente no dia-dia. Não posso praticar ásanas, tenho meditado e feito pranayamas. Mas com certeza, tenho vivido o yoga intensamente, no sentido de me observar, de ter paciência, disciplina e concentração para viver o presente (as vezes tudo o que eu quero é que meu corpo volte logo ao normal, confesso...), e inclusive de perceber como minha mente ainda me domina e me leva para longe, e como é dificil voltar pra cá...

E o mais interessante nisso tudo, é que amanhã vou ficar mais velha! Com certeza está acontecendo uma bela faxina para esse meu novo ano. Como uma boa sagitariana otimista, só posso terminar esse texto dizendo: Que bom, né?!

Namaste!

Um comentário:

Fernanda R. Lima disse...

Oi Mari, qta transformação hem?
Pela visão ayurvedica, seu Pitta está elevado... geralmente está relacionado com calor demais, raiva, impaciencia, perfeccionismo e etc...

Mas isso a gente fala na consulta! rs

Mas que ótima oportunidade para rever hábitos e padrões...

Te espero semana que vem.

Um beijo gde

Fe