16 de dez de 2009

Valorizando o sofrimento alheio

.

Há pouco tempo escrevi aqui sobre a importância de praticar o contentamento, ou santocha. Volto a esse tema por estar percebendo algo muito frequente, que tem me feito pensar. Não basta a negatividade que temos em relação a nós mesmos, tenho percebido uma tendência a ver o lado negativo nos outros. Só agora, depois de quase um mês da minha cirurgia, minha voz está voltando ao normal. Não me preocupei porque via um progresso constante, a cada dia ela melhorava um pouco. Mas esse diálogo sempre acontecia: " Sua voz continua ruim!" "É, mas ela está melhorando, está melhor que da última vez que falamos, não, está?" " Sim, mas continua ruim!". Ou, então, se referindo a minha cirurgia: " Nossa, que susto você passou, hein? que momento dificil!". Aí eu respondo: " Mas eu estou ótima!! Minha recuperação foi super rápida, não tive nenhum dos problemas que ouvi falar, estou me sentindo super bem!". E escuto: "É, mas foi um susto!"

A sensação que tinha nessas situações recorrentes era que não importava o que eu falasse, sempre viria uma ênfase no lado ruim. Chegou uma hora que resolvi parar de dar conversa pra essas pessoas, e dar mais atenção àquelas que, ao contrario, me davam versões positivas. Mas ao mesmo tempo comecei a perceber que essa história se repetia em outras situações, com outras pessoas. Comentei com alguém que me disse que as pessoas gostam de falar do que acontece de mal aos outros, pra não olhar para o que ocorre a si mesmos. Pode ser. Deixando as pessoas a nossa volta para baixo, nos colocamos acima. Mas acho que existe também um lado muito presente na nossa sociedade que evoca o sofrimento. É preciso sofrer para crescer. O sofrimento é valorizado, enquanto uma pessoa que não sofreu, " o que ela sabe da vida?". Então, confundimos a prática da compaixão com a valorização do sofrimento, ou o desejo de estarmos ao lado de alguém em situação menos favorável. Não me lembro agora onde foi que eu li que a felicidade é o estado natural do ser humano, e não o sofrimento. Assino embaixo.

Compaixão é dar força para alguém que passa por uma situação dificil, para que possa transformar a sua realidade. É ser realista, e não pessimista. Isso é maravilhoso. Se a pessoa que está a sua direita só é capaz de te deixar mais pra baixo, esperimente olhar para a esquerda, talvez você encontre alguém mais interessante. Mas acima de tudo, pratique santocha interiormente, sabendo ver os dois lados da história, e principalmente, o que se pode aprender com isso. Se estivermos contentes por dentro, não há quem nos derrube! Isso é o que eu tenho percebido nessa minha recente experiencia. Por outro lado, vale a pena se observar, para ver se você não é, em determinado momento, o que leva negatividade para quem está contigo. Se isso acontecer, é melhor rever as suas verdades.

Lokha samasta sukhino bhavantu

(que todos os seres do mundo sejam felizes e prósperos)

Namaste!

3 comentários:

coisas de frozina disse...

Assino embaixo!!
Beijos

Paulo R Yamazák disse...

Positividade Sempre! AHO

Cris Tarcia disse...

Ola!

Estou conhecendo o seu blog adoravel, gosto muito da India e tudo que ela nos transmite , vou voltar mais

Um abraço