12 de jul de 2010

Sem obstáculos!!

Essa que vos fala em ardha matsyendrasana

Nesse feriado fui pra Ribeirão Preto, interior de São Paulo, na casa de uma amiga querida, também praticante e professora de yoga, a Fabi (http://www.minutoyoga.blogspot.com/).  Sábado de manhã acordamos e fizemos uma caminhada até um parque próximo da sua casa, um parque lindo por sinal, com duas cachoeiras no meio da cidade. Havíamos dormido as 4 da manhã no dia anterior ( sim, somos praticantes de yoga que gostam de uma baladinha de vez em quando e acham perfeitamente possível unir as duas coisas de forma saudável!), por isso acordamos tarde e na hora que chegamos no parque o sol já estava a pino. Mesmo assim, resolvemos estender as nossas esteiras e começamos uma prática de ásanas.

Optamos por flexões e torções. Várias, e com longas permanências. Essas vieram naturalmente: fazia um tempinho que eu não fazia uma prática tão fluida, orgânica e presente!Mas o interessante de tudo isso foi que tudo no momento ia contra a nossa prática. O sol estava realmente forte, por volta de 30 graus, e as duas pitonas sempre foram bem intolerantes ao calor. Havia um montão de gente correndo, jogando bola ou simplesmente passando. E como já falei, havíamos ido dormir tarde, o que sempre me desestabiliza um pouco. Mas estávamos tão presentes, que nada disso nos abalou. E foi uma prática com ásanas fortes, mas tranquila, falávamos, comentávamos, sem nenhuma rigidez. Com direito a sessão de fotinhos no final e tudo. Só quando terminou nos demos conta da qualidade do que havíamos feito!

E então começaram a chegar as conclusões: primeiro, o poder das flexões e torções para esfriar o corpo. E o quanto um ásana bem escolhido pode ser benéfico para as circunstâncias em que nos encontramos. Depois, comecei a refletir sobre o quanto nos colocamos obstáculos o tempo todo. O tempo, o lugar, as pessoas, o corpo, o momento... BKS Iyengar diz, acho que no "Luz na vida", que somos pessoas adaptáveis as meio ambiente em que nos encontramos, mas que nos dias atuais aprendemos a adaptar o ambiente a nós: aquecedores, ar condicionado, etc... O que vivemos no sábado foi nos adaptarmos ao ambiente com a ajuda da prática de ásanas. E de forma leve e descontraída, estivemos totalmente presentes mesmo com todas as distrações. Nenhum obstáculo foi um obstáculo, porque estávamos presentes em nós mesmas!

 Fabisbela em upavista konasana
Boa semana a todos!

Namaste!

6 comentários:

Luciana Gomes disse...

Tá vendo como vale a pena esperar por ti.
Que delícia de relato Mari!
A gente precisa de muito pouco na yoga né?
Basta uma esteirinha e um pouquinho de disposição.

Mariana Akamine Bergamasco disse...

Exatamente, Lu!!

E tantas vezes colocamos tantas regras, e poréns, e isso é tão desnecessário, né?

Bjocas!!

Fabiana disse...

Falou e disse, Mari! E isso de precisarmos de tão pouco dá uma imensa sensação de liberdade, né?
Adorei a prática, o feriado e o depoimento!
Beijão!!

NelsonMP disse...

muito muito legal mas é preciso cuidado, no inverno, apesar da temperatura ser baixa, o ultra-violeta do Sol é às vezes até mais forte do que no verão, porque são dias normalmente muito transparentes, pelo fato de ter menos umidade no ar e também ter menos nuvens no céu, fatores que ajudam a filtrar os raios solares. É fundamental o uso de camadas fartas de filtros solares ou melhor evitando esses horários...

Mariana Akamine Bergamasco disse...

ahahahahah!! Tranquilo, Nelson, estavamos protegidas com um super filtro solar 30!!! ahahahahahah!

Fabiana disse...

Hey, Marineide!! Estou sentindo falta dos seus textos...
Beijos!