12 de abr de 2011

Anatomia da yoga - parte 3: A coluna vertebral e os chakras






Por Luiz Turisco.


“Somos feitos pelos sistemas respiratório, circulatório, digestivo, nervoso, glandular e genital-excretor. Cada um deles depende dos demais para que execute funções ritmicas saudáveis. As secreções do sistema hormonal são consideradas um fator essencial para a tranquilidade da mente. O lar de todos esses sistemas é a coluna vertebral (merudanda). A coluna, seus músculos, nervos e fluido mantém todos os sistemas funcionando de acordo. A ciencia da Ioga foi habilmente descoberta pelos iogues de modo a cuidar da merudanda ou vinanda para preservar a saúde dos ramos da coluna, como fibras, tendões, células, nervos, sentidos, inteligência mental, ego e consciência.”

B.K.S.Iyengar

A coluna vertebral é dividida em partes diferentes, como as regiões coccigiana, sacral, lombar, dorsal e cervical. Redes de plexos e glândulas endócrinas situam se em contato com as diversas partes da coluna e podem provocar tanto distúrbios de saúde ou de equilíbrio quanto ajudar a constituir a saúde física e o equilíbrio mental. A seu modo, os iogues estudaram o corpo humano, principalmente a coluna vertebral. Por meio de sua capacidade intuitiva, estudaram os centros energéticos na medula espinhal e os chamaram de Chakras.

Chakra significa roda, diagrama, ciclo ou círculo. Assim como a roda de uma máquina gigantesca está conectada a uma engrenagem volante, em torno da qual toda máquina se move como uma corrente, as descargas rítmicas dos chakras afetam o funcionamento de depressões ou elações físicas, fisiológicas, mentais, místicas e espirituais. Os sete chakras são os depósitos de força. Dada a localização de vários chakras, como explicado nos textos de ioga, muitos autores defendem que representam os plexos ou glândulas endócrinas. Eles podem ou não corresponder a essas glândulas, apesar de sua localização ter uma correspondência muito próxima. Se os plexos e as glândulas funcionam em níveis psicofisiológicos, os chakras funcionam no nivel da iluminação espiritual. Os chakras estão ocultos no âmago do canal espinhal, que dizem ser mais fino do que um fio de cabelo, e tem acesso a todo o funcionamento do corpo. Estando esse cordão exatamente no centro do corpo, os iogues o chamaram de madhyama nadí, ou nervos centrais. Portanto, os nervos centrais representam o sistema nervoso central da medicina moderna. Sabemos que, apesar da existência de equipamentos científicos avançados, pouco se sabe sobre esse sistema nervoso central. De acordo com os iogues, a energia liberada pelos chakras é conhecida como força vital (prana sakti ou jiva sakti), enquanto o sistema nervoso autônomo estaria nas laterais direita e esquerda da coluna vertebral como uma parte interior dos nervos (antaranga bhaga); os nervos periféricos são a parte externa dos nervos (bahiranga bhaga). Apesar de o funcionamento do sistema nervoso central ainda ser um desafio para a ciência, ele já era conhecido e entendido pelos iogues por meio de sua intuição e estudos dedicados.

Nenhum comentário: