21 de abr de 2010

Abra o coração!!!


As extensões de coluna, também conhecidas como retroflexões, ou backbends, são, muitas vezes, motivo de alegria ou desespero dos alunos.Muitos que fazem aula comigo quando percebem que vou dar extensões da aula já dissem: " ih... lá vem!!" .Eu dou risada porque já passei por isso e já pensei o mesmo! Em geral são posturas difíceis, que exigem força, flexibilidade, concentração e muita consciência corporal. Aceleram os batimentos cardíacos e a respiração, o que torna a permanência muito mais desafiadora. Mas são verdadeiros remédios para a alma!!


A explicação para isso é tão simples quanto a postura deveria ser, se não tivéssemos nos modificado tanto no decorrer de nossa vida. Você já viu alguma criança pequena de peito fechado? Ombros pra frente, coluna curvada? Pois é. As crianças são abertas para o mundo. Conforme vamos crescendo, esse mesmo mundo a que viemos tão abertos e disponíveis vai colocando na nossa frente tantos "nãos", dores, medos, tristezas, que depois de um tempo resolvemos que não queremos mais passar por isso. E então, vamos pouco a pouco fechando a portinha das nossas emoções, localizada ali no meio do peito, na região do osso esterno. Mas o problema é que isso não funciona. Porque o próprio ato de fechar o peito causa uma sensação ainda maior de solidão,e por isso nos fechamos ainda mais. Entramos numa bola de neve. Sabe aquela velha sensação de aperto, tão falada em músicas, poesias, etc? Sim, é literal. Fechamos a principal região do corpo onde são processadas nossas emoções. Onde elas entram e saem. E assim, nada entra e nada sai. Ficamos apertados, sem saber o que fazer com aquilo.


Quando praticamos as extensões, nos abrimos novamente para o mundo. Para que muita coisa guardada há tempos possa sair. Por isso já vi, mais de uma vez, pessoas sairem de uma retroflexão chorando desesperadamente. Mas já vi também, e já aconteceu diversas vezes comigo, essas posturas causarem uma sensação de alegria intensa. Uma vez, em uma aula, eu e alguns colegas ficamos tão felizes com a prática de backbends que parecíamos crianças na hora do recreio. Depois, fomos tomar um suco e estávamos tão abertos que começamos a contar coisas bem íntimas um do outro, como se tivessemos tomado a poção da verdade e fosse a hora de colocar tudo pra fora! Hoje, quando lembramos daquele dia, rimos bastante. Mas a verdade é que foi muito benéfico.


São várias as situações do cotidiano que me pedem extensões de coluna na minha prática pessoal: quando estou mais tristinha, elas me deixam mais pra cima. Quando estou cansada, ou com sono, elas me dão energia. São ótimas para o frio, pois além de aquecer o corpo nessa época tendemos a tensionar e fechar muito os ombros. Além de serem extremamente benéficas para a coluna (quando feitas com o alinhamento correto, por isso sempre um professor preparado é bem vindo), para o sistema respiratório, digestivo, entre outros. E não precisam ser sempre tão intensas: o uso de acessórios, por exemplo, pode intensificar bastante uma postura, mas pode também torná-la mais leve e restauradora.


Então, na próxima vez que você fizer retroflexões na sua aula de yoga, lembre-se de quão incríveis eles são, e entregue-se! De coração aberto!!


Namaste!

7 comentários:

Lu Gomes disse...

Uau Mari! Que inspiração!
Por um acaso você acabou de fazer umas backbends? rsrsrs
Sabia que foi numa aula de extensões que eu comecei a perceber os efeitos dos asanas.
Simplesmente no meio da aula eu me senti feliz!
E pensei: como assim? Tô aqui suando, cansada... e feliz?

Mariana Akamine Bergamasco disse...

ahahahahah!!

Não Lu, mas confesso que logo que desliguei o computador fui correndo praticar e fiz um monte de urdva dhanurasanas!! eheheh!! Bjos pra vc!!

coisas de frozina disse...

Amei este texto!! E era bem resistente a essas posturas, me causavam um desconforto... Até que no primeiro fim de semana de formação (no domingo, eu exausta por acusa da prática do sábado), tivemos uma sequência interminável de retroflexões, que fiz xingando o mundo por dentro... Só que eu saí dessa aula com ZERO de cansaço e um sorriso sincero nos lábios rsrsrsrs, fiquei realmente impressionada. Hoje tenho muito carinho por essas posturas.
Beijos

Mario Cassettari disse...

Ola Mariana,

Legal este seu espaço virtual, já que não falo em sala de aula. Não dou conta das coisas que acontecem durante os exercícios, falar seria um desperdício.

Hoje, as tuas aulas com as aulas do Sandro, são muito difíceis, desde o mantra inicial até o Om final. Minha biografia me proporcionou o corpo e flexibilidade que não tenho, não me queixo, apesar de ter vontade.

Sinto que as aulas me oferecem um caminho do bem e que meu corpo irá colher os benefícios também. Espero que isto leve tempo suficiente até que eu possa desfrutar mais durante os exercícios.

De qualquer forma, vou as aulas de coração bem aberto e confio a você a parte que ainda não sou capaz de entender. Ainda não sei bem o que é Yoga e também não me enxergo com tanta consciência, mas posso ver que isto se conquista com muita prática e com a orientação de bons mestres.

... retroflexões... em breve...

obrigatô

Mariana Akamine Bergamasco disse...

Mario!!

Obrigada pelo seu comentário! É sempre bom ouvir dos alunos como eles se sentem com as aulas. Bom e necessário! É isso mesmo, passo a passo você vai chegando lá, ampliando a capacidade do seu corpo, sua percepção e sua consciência. Mas já adianto que não há nada mais consciente do que estar presente dentro dos próprios limites. E isso só pelo seu comentário podemos ver que você tem!! Namaste!

Tábita disse...

Que lindo!!!
Amei!

Mariana Akamine Bergamasco disse...

Amei sua visita, Tábita!!