29 de out de 2008

Ahimsa


Há muito tempo sugeri uma pesquisa sobre não violência nesse blog. Uma amiga me mandou um texto lindo, acabei fazendo minhas as palavras dela e esqueci o tópico. Acho que já deu pra perceber que não sou de escrever muito, não gosto de escrever por escrever, a idéia precisa vir e eu preciso gostar do texto, sabe? Enfim, depois de meses a idéia veio. Tá aqui:


Já falei um pouco nesse blog sobre Patanjali. Patanjali foi uma pessoa (como com todos esses autores antigos, isso nunca é uma certeza) que escreveu um texto importantíssimo para a história do yoga e, principalmente, para que o yoga exista como ele existe até hoje. O nome do texto é "Yoga Sutras" e acredita-se que foi escrito entre 300 e 500 a.C. Até hoje é um dos textos mais estudados, por isso digo que provavelmente, se não fosse pelos Yoga Sutras, o yoga não seria praticado hoje dessa forma.


Nesse texto, Patanjali fala sobre os oito passos do yoga (astanga yoga). Muita gente acredita hoje, principalmente por conta da "moda" do yoga no ocidente, que yoga são somente asanas, ou talvez asanas e pranayamas. Mas esses são apenas o terceiro e quarto passos do yoga, segundo Patanjali. Antes de chegar aos asanas, existem os yamas e os nyamas, que dizem respeito a como agir não só dentro da prática de asanas, mas em todos os momentos do dia, tanto em respeito ao outro quanto à você mesmo. O primeiro yama, ou seja, o primeiro passo entre todos, é AHIMSA, que significa NÃO- VIOLÊNCIA.


Não violência, nesse caso, é um pouco mais amplo que "não a guerra" ou "não matar". Estamos falando de não violência em todos os sentidos, em todos os momentos da vida. A Laís escreveu um texto com toda essa amplitude por isso o publiquei. Quem tiver interesse em lê-lo, está aqui:


http://algosobreyoga.blogspot.com/2008/03/faz-muito-tempo-que-no-escrevo-tenho.html


Comer algo que você sabe que não te faz bem é uma forma de violência contra seu corpo. Se estressar demais, se preocupando com tudo o que aparece na sua frente também. Cultivar pensamentos negativos, não cuidar de si mesmo, brigar no trânsito, se atrasar sem necessidade, não dormir bem, neglicenciar aos que estão a sua volta, enfim, são muitos os exemplos.


Vou me focar agora em um aspecto específico, que é ahimsa durante a prática de asanas. Como podemos nos violentar durante a prática de asanas?


A primeira resposta que me vem à cabeça é a mais obvia: Se praticamos sem a atenção necessária, podemos nos machucar seriamente. Por isso a concentração é tão importante durante a prática. Executar um asana falando ou pensando em outros temas, sem a atenção total no seu corpo e no momento presente pode levar a serias lesões. Ir muito além do limite do seu corpo também é violentar a si mesmo. Mas, do mesmo jeito, quem não se esforça para ampliar seus limites, ficando sempre na postura cômoda, não evolui, não vai a lugar nenhum. E isso é uma forte forma de violência consigo.


Iyengar dá um bom exemplo de ahimsa em "A árvore do yoga". Ele diz que se executamos melhor um asana para o lado esquerdo, por exemplo, e por isso ficamos muito mais tempo desse lado que do outro, desequilibramos todo o nosso corpo tanto físico como energético, e assim, nos violentamos.


E todos esses exemplos podem ser levados aos dia a dia. Mas isso, vou deixar para a reflexão de cada um.


Namaste!

17 de set de 2008

As posturas invertidas e o medo





Eu bem sei o que é ter medo das invertidas. Sempre fui uma pessoa que tem medo (de posturas mais desafiadoras e de outras coisas tambem), mas não deixa de fazer. Por conta disso nunca deixei de fazer as invertidas, mas demorei anos, por exemplo, para sair da parede no sirshasana (invertida sobre a cabeça, a primeira foto). Quando saí da parede, ficava 10 segundos e já descia. Aí comecei a praticar Iyengar, e me pediam para ficar minutos na postura. O que fiz? Voltei para a parede!! Até que resolvi praticar e praticar em casa para poder ter mais segurança nas aulas, e deu super certo. Hoje em dia eu consigo já ficar um bom tempo na postura, e com conforto. Adoro o sirshasana!!É uma das posturas que mais me faz sentir bem, me sinto revigorada, relaxada e energizada ao mesmo tempo!! Não é a toa que ela é chamada de "rei dos ásanas".

Aí, então, depois que o medo do sirshasana foi embora, encontrei outro desafio: a parada de mão (adho mukha vrkshasana, terceira foto). Sempre tive uma imensa dificuldade para entrar na parada de mão. Me sentia ridícula pulando, pulando sem conseguir levar os pés para a parede. Aquilo para mim me parecia impossível! Apesar de nunca ter deixado de tentar, sabia que era o medo que me impedia de realmente levar os pés para cima. Mesma coisa: resolvi praticar e praticar e de repente, tudo me pareceu mais simples. Quando consegui entrar na postura, meu novo desafio foi permanecer mais tempo nela. Ainda estou nele. Já consigo ficar um tempinho, mas sei que posso conseguir muito mais. Mas ainda não saí da parede. E fazer o adhomukha vrkshasana fora da parede me parece ainda um desafio grande.

São muitas as sensações geradas durante uma postura invertida. Além do medo óbvio de cair, a idéia de "ver o mundo por outro ângulo", para alguns, pode parecer bem assustador. A maioria das vezes isso não é consciente, mas é muito, muito frequente.

Mas exatamente por ter esse histórico, e entender muito bem esse medo, procuro incentivar muito os meus alunos a não tê-lo. Não quero que eles, como eu, demorem anos para sair da parede no sirshasana. E procuro sempre encorajá-los, além de dar o máximo de ações e explicações possivel sobre o ásana para que o aluno se sinta mais seguro. É um asana extremamente benéfico, e realmente a sensação quando alguem consegue executá-lo bem é das melhores já sentidas!!

Sempre é bom lembrar das contra indicações: Não praticar no periodo menstrual, nem pessoas que sofrem de problemas de pressão nos olhos(glaucoma, por exemplo), pressão nos ouvidos e pressão alta. Problemas na coluna também são delicados. O resto, disfrutem!!


Por isso, minha dica é: pratiquem, pratiquem e pratiquem!!! Com determinação e disciplina, e claro, com os devidos cuidados, a recompensas serão as melhores!

Namaste!


13 de ago de 2008

Savasana

O Savasana (pronuncia-se: "shavasana") é a postura de relaxamento, feita normalmente no final da aula, deitado de barriga para cima, pernas soltas e braços ao longo do corpo. Na minha opinião, é uma das posturas mais difíceis do hatha yoga. Algumas pessoas tem a mente tão rajásica (agitada, trabalhando o tempo todo) que a simples ideia de ficar alguns minutos deitado, sem se mexer, sem falar e sem ouvir nada é aterrorizante. Outras simplesmente amam esse momento, porque é a hora do descanso. Mas não percebem que enquanto o corpo está lá, deitado, a mente está a mil, e a realidade é que a pessoa não tem a menor consciencia do que está fazendo, está simplesmente deitado. Mesmo para as pessoas que entendem a função do savasana, "chegar lá" não é nada facil.

Me explico: Savasana significa, em sânscrito, postura do cadaver. A principio isso pode soar estranho, mas pra mim há uma ideia linda. É a ideia de que, durante esses minutos, o que morre é o ego. O savasana é o momento de entrega absoluta. Relaxamos completamente o nosso corpo, relaxamos a nossa mente e com isso, por alguns minutos, deixamos de ser a personalidade, a mulher, o homem, o profissional, a pessoa feliz ou a pessoa triste, deixamos nossas aflições e nossos prazeres de lado, e somos somente um corpo descansando. Ah, agora vocês hão de concordar comigo que isso está longe de ser simplesmente "a hora do descanso", não? Não, não é fácil. E assim como as posturas em pé, extensões de coluna e invertidas, é necessário muita prática para se chegar minimamente lá.

Por isso sempre dou savasana nas minhas aulas, e sempre que possível procuro deixá-los por um bom tempo nessa postura. Sei que não são todos os professores que pensam assim. Mas para mim é importante. É muito dificil, em 5 minutos, a pessoa conseguir relaxar completamente o corpo. Quanto mais a mente, e por aí vamos. E acho importante que o praticante tenha essa consciencia de que o savasana não é simplesmente a hora de descansar o corpo. É a hora de descansar sim, mas um descanso realmente profundo, e para isso é necessario consciencia, e entrega.

Hoje em dia, é muito comum dormirmos durante uma noite inteira, e ainda assim não descansarmos. Dizem que se você praticar savasana todos os dias, com consciencia, seu corpo estará muito mais descansado que com horas de sono. Por isso, uma dica: Não desperdisse esse momento. Aproveite o savasana em sua aula de yoga para experimentar a entrega e o descanso profundo. Não se trata de não pensar em nada, mas simplesmente não se apegar a nenhum pensamento, não deixar que nenhum pensamento domine você, estando consciente do que acontece com seu corpo e com sua mente.

Dessa idéia de dissolução do ego durante todo o savasana posso dizer com toda sinceridade que estou ainda anos luz de distancia. Mas já consigo ficar um pequeno tempo sem ser dominada pela mente, e digo que a sensação é deliciosa!

Namaste!

19 de jul de 2008


Parsvakonasana

4 de mai de 2008

Trikonasana


Uthita trikonasana, com o sol e o verde de Presidente Prudente - SP. Natureza inspiradora!!

10 de abr de 2008

Presença

Sempre que ouvimos falar sobre yoga, nos vêm palavras como flexibilidade, tranqüilidade, relaxamento, saúde, equilíbrio... Outras vezes, em praticas mais exigentes fisicamente, falamos sobre força, resistência... Mas há um componente essencial no yoga que não é tão comentado, a meu ver o mais importante: a presença. Fazer yoga é, acima de tudo, estar presente. E é daí que vem a saúde, o equilíbrio, o relaxamento, e até a força e a flexibilidade. Isso tudo é conseqüência de um corpo consciente, presente.

Quando estamos em um ásana, o que é mais importante? Qual é a distancia que chegamos com as pernas na cabeça, ou o quanto estamos com nossa atenção totalmente voltada para o nosso corpo, sentindo o alongamento, o trabalho nos músculos e o movimento que existe internamente? Não há duvidas que a segunda opção é mais interessante. Sem consciência, podemos chamar as posturas de alongamento, de ginástica, de contorcionismo ou de qualquer outra coisa, mas não de yoga. Yoga é presença. É atenção.

Patanjali, em seus yoga sutras (um dos textos mais importantes do yoga, escrito a mais de 2000 anos), diz, logo no inicio: YOGASCITTA VRTTI NIRODHAH. Uma das traduções possíveis para essa frase é “Yoga é a restrição das flutuações da mente”. Ou seja: Durante a prática de yoga, procuramos não divagar tanto com os nossos pensamentos, mas focar nossa atenção no momento presente, observando e sentindo o efeito de cada ásana, seja o mais simples ou o mais avançado.

Quando pensamos dessa maneira, pouco importa se o colega ao lado chega com a mão mais perto do pé que você, ou se fica mais tempo em equilíbrio. Cada corpo é um corpo, com sua estrutura e seu histórico. O importante é a busca que se faz com a prática de yoga. O resto, como já disse, é conseqüência.Virá, mais cedo ou mais tarde.


Namaste!

26 de jan de 2008

Ásana: sarvangasana






Salamba Sarvangasana (invertida sobre os ombros) é considerada a mãe das ásanas. Entre seus benefícios, age sobre as glandulas tireoide e paratireoide, melhorando seu funcionamento, traz alivio para pessoas que sofrem de falta de ar, asma, bronquite e problemas de garganta, pois o sangue arterial circula pelo queixo e peito. Acalma os nervos, estimula os rins e acalma a mente. Ajuda a quem tem TPM e problemas digestivos. Além disso, é altamente revigorante. Por outro lado, quem sofre de pressão alta não pode fazer esse ásana, assim como mulheres no periodo menstrual e quem tiver problemas no ombro e no pescoço.


.


.





Informações retiradas dos livros "Yoga e saude para a mulher" de Linda Sparrowe, e "A luz do Yoga" de BKS Iyengar.


.





ATENÇÃO!!!!! Me pediram para falar de ásanas no blog e o estou fazendo para para dar exemplos, não para dar aulas de yoga pela internet. Não tente fazer nenhuma postura em casa se você nunca praticou com um professor preparado para isso! Algo que trás tantos beneficios pode ser também altamente prejudicial se não for bem orientado, pois afinal de contas estamos trabalhando com o nosso corpo físico, e lesões sérias podem acontecer se vc não tiver cuidado.


Namastê!!!

14 de jan de 2008

Obrigada!!

Quero agradecer muito a todas as pessoas que comentaram o blog, por e-mail, no blog mesmo, ou até pessoalmente. Recebi um carinho muito grande e fiquei muito contente!! Vou tentar postar um texto por semana, mais ou menos. Essa semana eu demorei um pouco porque ainda estou me adaptando a essa vida de "blogueira"... Mas prometo que tentarei ser mais frequente! E peço que as pessoas comentem, façam perguntas, sugestões... Pra que esse possa ser mesmo um espaço de troca, tá bom?

Muito obrigada!!!

Namaste!