27 de mai de 2010

Como você se relaciona com o seu presente?


Você realmente está vivendo o seu presente ou o está usando para alcançar o futuro? É uma questão para se pensar, não? Alguns de nós simplesmente ignora o presente e vive lembrando do passado, ou imaginando o futuro. Mas há também quem aprendeu a viver e aceitar o presente, pois essa é a única forma para alcançar os seus objetivos - depois. Sendo assim, o agora não é realmente o que importa.


Na prática de ásanas, isso fica bem claro quando aceitamos os nossos limites porque é o que temos no momento, mas praticamos com o objetivo de alcançar algo além depois de muito tempo de prática. Sim, de fato o tempo nos ajuda a evoluir mais e mais. Mas não devemos praticar com a intenção de "um dia fazer aquela postura como a moça da revista" , mas sim de viver e sentir os nossos limites no exato momento em que eles surgem. A dor, o desconforto ou a limitação nos faz crescer, não só porque aprendemos a superá-los, mas porque nos faz sentir vivos e presentes. E assim, paradoxalmente, a evolução vem mais rápido.


E durante a meditação? Ouvimos o tempo todo frases como:" Medite, porque com o tempo você vai se sentir muito melhor". "Medite, pois você ficará muito menos doente", entre outros. Então, ao refletir sobre esse tema, me veio a seguinte frase: Medite, pois é a melhor coisa que você pode fazer agora. E só.


Experimente fazer o seguinte exercício: da próxima vez que você caminhar, seja pra onde for, tente simplesmente caminhar. sinta os seus passos, o seu corpo. Sem alimentar nenhum pensamento, simplesmente ande. Eu já fiz isso algumas vezes, e é bem dificil. Porque sempre andamos em direção a algo, seja o trabalho, a padaria ou o banheiro, quando damos o primeiro passo, nossa mente já está lá, no ponto de chegada. No futuro.


Isso não quer dizer que você não deve fazer planos.Eles são importantes e saudáveis. Mas a sementinha sendo germinada, a ação de colocar a água, os primeiros brotinhos, deveriam ser tão importantes na nossa vida quanto o vaso cheio de flores. E não há dúvidas que quando cultivamos com amor e paciência, a flor nasce muito mais bonita.  Então, a cada dia, deveríamos nos fazer de novo a mesma pergunta: Como estou me relacionando com o meu presente?



Namaste!