26 de set de 2011

Por isso eu dou aulas de yoga



Tempos atrás pedi para meus alunos me responderem 3 perguntas por email, com o intuito de escrever algo no blog a respeito. As perguntas eram as seguintes:
-O que é yoga para você?
- Por que começou a praticar yoga?
- Você acha que algo mudou desde que começou a praticar yoga? Se sim, o que?
Minha ideia veio de uma discussão antiga, que vira e mexe retorna, sobre a forma como o yoga é apresentado no ocidente, sobre o risco de virar meramente uma atividade física, essas coisas.
Sou uma defensora eterna da ideia de que yoga é para todos. Para todos mesmo, e por isso não acho certo nenhum tipo de preconceito ou rejeição a nenhum tipo de aluno, mesmo aqueles que estão lá por causas "menos espirituais" ( se é que alguém nesse mundo pode chamar algo de mais ou menos espiritual).
Tenho um aluno que faz aulas comigo há 3 anos e até hoje diz que vai a aula de ginástica em vez de dizer yoga. Não canta mantra e não fala namastê no final. Procurou o yoga porque tinha problemas sérios no corpo, e meu espaço fica na mesma rua em que ele trabalha . Mas é um dos meus alunos mais antigos, e posso ver com clareza uma grande transformação no seu corpo e na forma de lidar com ele. E através disso, uma grande capacidade de olhar para si. E daí que ele diz que vai pra aula de ginástica?  Acredito que se eu insistisse com o fato do yoga ser uma filosofia de vida, provavelmente ele não estaria lá até hoje. O que importa não é a palavra que ele usa, mas a oportuinidade que ele tem de se conhecer um pouco mais a cada semana. E sim, nosso corpo é nossa casa, e deve ser tratado bem, então vê-lo conseguindo relaxar os ombros e com menos dor na coluna me deixa muito feliz!
Não seria o nosso ego que faz tanta questão de dizer ao mundo que não é ginástica, não é só fisico, etc? Sabemos disso, e fazemos a nossa parte. Por que essa necessidade tão grande de gritar isso o tempo todo pro resto do mundo?
Alguém que chega ao yoga em busca de uma melhor condição física, pode ir muito além disso. Mas para isso é necessário que seu professor o acolha sem preconceitos. E voltando às perguntas que fiz aos alunos, as variadas respostas me mostraram que as possibilidades do yoga são muitas, que bom, e que o único que posso fazer é acolher a todos que, pelos mais variados motivos e caminhos, chegam até as minhas aulas, e fazer a minha parte. Ele fará a parte dele. O que vai acontecer depois, realmente, não tenho como saber ou fazer nada a respeito. Só posso fazer o meu trabalho com o coração.

Aqui estão algumas respostas dos alunos:


"-Acho que a yoga para mim funciona como uma maneira de concentração. um período que me proporciona formas de  perceber cada pedaço do meu corpo, cada maneira de respirar, um momento do dia que tento me encontrar comigo mesma através das posturas, da dificuldade de cada uma, do prazer e do desafio de muitas! e por estar sem praticar a algumas semanas entendi que yoga nao é só aquela uma hora que pratico, ela na verdade é uma forma de pensar, de olhar, está mtas vezes nos detalhes do dia em que vc parou e olhou pra dentro.
-Fui procurar a yoga pela primeira vez como uma terapia, uma maneira de diminuir ansiedades, nervosismos, medos, enfim...tudo aquilo que me tira do eixo....fui buscar possibilidades de mais equilibrio e claro, de saúde.
- Mudou mta coisa, muda todo dia. cada vez que faço uma postura que nunca imaginei que faria e tb cada vez que lembro que fiz sinto que foi mais um passo que dei, um medo que venci, enfim, cada aula é uma possibilidade e uma nova chance que eu dou para mim mesma.....acho que yoga para mim é aprender a se relacionar bem com vc mesma.....talvez eu passe a maior parte do tempo brigando comigo mesma e a yoga seja uma maneira de fazer as pazes."

"- Yoga para mim é uma de terapia fisica e mental. 
 
- Curiosidade de conhecer melhor o Yoga  pois sou dentista e a indicava a meus pacientes como terapia complementar para casos de disfunção da Articulação Temporo Mandibular( ATM) pois os pacientes que apresentam essa patologia tem geralmente como fator desencadeador  (não é a causa principal) o Stress por variadas situações.
-Sim, passei  a dormir melhor, tinha insônia pois sou ansioso e também dores na coluna e no quadril por posturas inadequadas, até  mesmo pela minha profissão, idade (na casa dos 55anos) e esportes praticados (corrida e tenis).
Arisco a dizer que melhorei como individuo numa maneira geral."

"- É uma maneira de preservar meu corpo e minha mente, o que reflete no meu modo de encarar a vida.
Acredito que traz consciência à minha saúde física e mental e trabalha meu foco e concentração, não só no momento do ásana, mas às minhas ações diárias.
- Sim! Não sei se tem a ver, mas desde que pratico com disciplina (há 4 anos) percebi que criei maior resistência a gripes, resfriados, dores na coluna (nunca mais), TPM, entre outras. Melhorou mto minha ansiedade, regrei minha alimentação, e me tornei muito mais persistente." 

"A minha história com o yoga parece que existe desde antes da minha chegada ao mundo. Desde os meus 15 anos que tenho muita afinidade com fazer silêncio, ouvir o coração, perceber os limites do meu corpo, enfim, sempre tive muito interesse em tudo que se relacionava com a ligação do que eu pensava com o que eu sentia e onde tudo isso acontecia. Como ao meu redor não havia ninguém que partilhava deste universo, só tive contato com o yoga na época da faculdade. Lia muito, praticava pouco, mas era como se aquilo fizesse parte de mim. Quando comecei a praticar mais pude notar que o yoga é a minha vida, aquilo que me coloca em contato com o agora, me equilibra, me faz ver as coisas como são, boas ou ruins. Com o yoga consigo lidar melhor com cada momento, não só melhorei na maneira de encarar problemas, como também aprendi a aproveitar muito mais os momentos felizes e especiais. Desde que comecei, de fato, a prática, pude notar o ser humano que sou, minhas potencialidades e dificuldades. Deixei de ter vergonha do que não sei e passei a respeitar aquilo que me valoriza. Me sinto uma pessoa privilegiada por poder praticar algo tão completo e encantador. O yoga me encanta!!"

"- Faço yoga porque é o momento que decido para a mente e o corpo ao mesmo tempo.
- Sim , mudou muito. Minha postura perante o cotidiano corriqueiro de trabalho e deslocamento, me trouxe mais consciência do meu corpo e do lado mental que tende a prevalecer quase todo momento. Yoga me ajuda a pensar consciente, e diminuiu minha ansiedade e nervosismo."

"- Yoga para mim é uma atividade (física) extremamente prazerosa dentre todas que eu já fiz.  Física fica entre parênteses pois para mim ela não é apenas uma atividade física, mas um trabalho mais completo, pelo menos para quem acredita nisso, o que é o meu caso.
 - Faço Yoga porque sinto-me muito bem durante e após as aulas. Efeitos da tensão e má postura são quase sempre eliminados após as aulas, até mesmo minhas constantes dores de cabeça.
- O que mudou efetivamente, é e eu não consigo ficar sem fazer as aulas de Yoga."

Nesse momento, lendo todas essas respostas assim, uma seguida da outra, fico emocionada e só posso agradecer imensamente ao universo por ter colocado o yoga na minha vida, e a mim mesma, por ter escolhido dedicar-me isso. É isso, são experiências como essas que me fazem ser tão feliz sendo professora. O resto é teoria, é bem vindo, mas não me faz sair de casa para trabalhar.

Namaste! 





18 de set de 2011

Enquanto sigo sem vontade de escrever, vamos nos inspirando nos grandes:



“Nosso medo mais profundo não é o de sermos inadequados.
Nosso medo mais profundo é de sermos poderosos além da medida.
É a nossa luz, não nossa escuridão, o que mais nos assusta.
Nós nos perguntamos, "Quem sou eu para ser brilhante, interessante, talentoso e fabuloso?"
Na verdade, quem é você para não ser?
Você é uma criança do Espírito.
Você, pretendendo ser pequeno, não serve ao mundo.
Não tem nada de iluminado no ato de se encolher para que os outros não se sintam inseguros ao seu redor.
Nascemos para manifestar a glória do Espírito que está dentro de nós.
E, à medida que deixamos nossa luz brilhar, damos permissão para outros fazerem o mesmo.
À medida que liberamos nosso medo, nossa presença libera outros.”
Nelson Mandela - 1994